#ElasnoAgro conheça as três primeiras mulheres da Oficina Real Máquinas

segunda-feira, Agosto 23, 2021

Elas integram o time de Serviços, na Oficina Mecânica da empresa, em Mineiros-GO.

 

O trabalho das mulheres no agro vem ganhando cada dia mais espaço. O meio que era essencialmente masculino – ate então – agora vem dividindo espaço com as mulheres cheias de sonhos e ávidas para conquistar seu espaço.

Em alguns setores, a participação feminina sempre foi menor – como é o caso das Oficinas Mecânicas. Mas isso não foi empecilho para as três personagens da nossa história de hoje.

Rafaela, Morgana e Raquelaine são três jovens de Mineiros que entraram na Real Máquinas através de um Programa de Jovens Aprendizes feito em parceria com a ATVOS.

Depois, elas tiveram a oportunidade de serem contratadas e se tornarem as primeiras mulheres da Oficina Mecânica da empresa. Atualmente, elas trabalham como Técnicas da categoria E.

A Real Máquinas apoia a participação das mulheres em cada etapa do agro e acredita na sua força para construir um setor cada dia mais forte.

Conversamos com elas para contar a sua história. Confira todos os detalhes na entrevista.

 

Rafaela de Paula Lopes de Oliveira, 22 anos, natural de Mineiros

 

Entrei no programa de Jovem Aprendiz da ATVOS – em busca de uma experiência nova. Para mim, foi uma oportunidade de entrar como aprendiz e de ter um crescimento.

O programa foi muito legal. Foi uma coisa nova, que ainda não tinha sido testada e eu adorei essa oportunidade. Aprendi muitas coisas novas. Antes de fazer eu não tinha contato algum com mecânica. Eu tive algumas matérias na faculdade enquanto eu estava no programa e isso me ajudou muito.

Ficamos quase dois meses aqui como aprendizes e foi muito bom.

Minha recepção (pelos colegas) aqui foi muito boa. Foi algo novo – mulheres na mecânica, mas todos nos receberam bem.

Algumas pessoas da família e conhecidos, quando me veem com essa roupa, ficam espantados. Acham muito diferente. Mas eu acho me acho top, só por estar aqui já me sinto feliz.

Para as mulheres que querem seguir nesse caminho, a minha mensagem seria: “não desista do que você quer. Assim que surgir a oportunidade: agarre e abrace. Os obstáculos vão existir, mas a gente tem que buscar e mostrar pro mundo que a gente pode como os homens. E se adaptarmos para“... pode, assim como os homens.”? Somos diferentes, mas é essa diferença que move as coisas”.

 

Morgana Souza Morais, 23 anos natural de Mineiros

Soube do programa através das redes sociais e ficou curiosa. Estava trabalhando como vendedora e larguei esse trabalho.

No programa, as mulheres eram maioria. Quando fomos para a parte prática, tinha um medo porque tudo era muito novo e a gente sabia mais de teoria.

Colocar em prática em um ambiente quase 100% masculino era intimidador. Mas havia uma mulher (na ATIVOS) que era mecânica e trabalhava na hidráulica. Ela também tinha saído de um programa de aprendizes e isso nos incentivou muito.

Eu, graças a Deus, encontrei instrutores que me ensinaram muito, aprendi muito com cada um deles. O tratamento com a gente lá foi super tranquilo. Eles já tinham ensinado mulheres na oficina antes.

Antes disso, eu não tinha contato nenhum com mecânica.

Quando cheguei aqui, na parte mecânica da Real não tinha mulheres.

Mas nós fomos super bem recebidas por todos.

Aqui, a gente aprendeu muito mais – o trabalho na Real abriu um leque de conhecimento para a gente aprender.

De início, acho que os homens ficaram surpresos – era uma turma grande com muitas mulheres – mas eles foram ótimos com todos.

 

Para as mulheres que querem seguir nesse caminho, a minha mensagem seria: “Tenham o pé firme, não se deixem abalar pela negatividade das pessoas, acreditem no seu potencial e vão rumo ao sucesso.”

 

Raquelaine Barbosa, 22 anos, natural de Mineiros

 

Achei o programa Jovem Aprendiz numa publicação feita pelo SENAI.

Eu nunca tinha tido contato com a parte mecânica e fiquei curiosa para aprender mais.

Quando cheguei aqui, gostei muito do trabalho na Real e da oportunidade que eles têm nos dado.

Tinham várias outras mulheres aprendendo na parte mecânica como nós e isso nos deu mais confiança.

Para as mulheres que querem seguir nesse caminho, a minha mensagem seria: “O primeiro passo é sonhar, o segundo é acreditar e o terceiro é persistir. Nunca devemos deixar de sonhar e de correr atrás dos nossos objetivos!”

 



Share